Doenças

Perda ou redução do olfato ou paladar

Anosmia e hiposmia significam ausência e diminuição da olfação respectivamente. Os distúrbios da olfação ocorrem em metade da população entre 65 e 80 anos e em torno de 75% da população acima dos 80 anos de idade.

Em tempos de covid 19, há estatísticas preliminares (dados de 11/06/2020) de perda de olfato e paladar em 2/3 dos pacientes positivos para o coronavírus. É importante saber que 80% da apreciação do sabor é derivado da olfação.

Uma história prévia de rinites e sinusites, sintomas alérgicos, uso de algumas medicações, tabagismo, etilismo, radiação, cirurgias, trauma facial, alterações sistêmicas como o hipotireoidismo, doenças metabólicas, distúrbios psiquiátricos e neurológicos podem estar relacionados à perda do olfato.

Na avaliação deste sintoma é importante a realização da vídeo endoscopia nasal realizada no consultório que pode mostrar sinais indicativos da causa da perda de olfato como pólipos, secreção, tumorações e alterações inflamatórias da mucosa nasal. A tomografia computadorizada avalia melhor o seios paranasais em alguns casos e é importante também quando há histórico de trauma. A ressonância nuclear magnética é importante na avaliação  das causas intracranianas de anosmia e hiposmia.

Em tempos de coronavírus a perda de olfato e ou paladar súbita relacionada ou não à febre, fadiga, cefaléia, tosse e diarréia é muito sugestiva da covid 19 e indica o isolamento do paciente por pelo menos 14 dias, mesmo que não seja possível a realização do RT PCR para covid 19 ( exame molecular que detecta a presença do vírus). Após o período de isolamento é recomendável que o paciente faça uma consulta com o otorrinolaringologista para uma avaliação ideal de acordo com cada caso.

Telefone

71 3331-5551

Sistema Online

Acesse agora
Rolar para cima